IJP
Instituto Jacques Perissat
 
Cadastre-se e receba novidades
do Instituto Jacques Perissat.
 

Clínica IJP

Rua Jeremias Maciel Perretto, nº 300
Campo Comprido
Curitiba / PR
Tel: (41) 3373-8688 / 3019-4032
ijpcirurgia@ijp.com.br


Pós-graduação IJP
Rua Profº Pedro V. Parigot de Souza, 5300.
Campo Comprido / Curitiba / PR
cep: 81280-330
(41) 3373-8688 / 9815-3804
cmmi@up.com.br

 

As hérnias são tumorações palpáveis que aumentam de volume aos esforços físicos, como por exemplo tosse e levantamento de peso. São ocasionadas pela migração de tecidos através de defeitos nos sistemas de contenção, por exemplo, músculo-aponeuróticos.

Na área específica de cirurgia geral, as hérnias podem ser: hérnias umbilicais (no umbigo), epigástricas (acima do umbigo), inguinais (nas virilhas), incisionais (em incisões cirúrgicas), etc.
Todas podem atualmente ser corrigidas por videocirurgia.


Cirurgia para Correção de Hérnias

.
O que saber sobre a cirurgia:

As hérnias inguinais sempre devem ser operadas?
Exceto em bebês e quando há alto risco cirúrgico, sempre devem ser operadas pelo risco de estrangulamento e encarceramento de vísceras no saco herniário.

Hoje em dia todas as hérnias são corrigidas por vídeo?
Não, na verdade a hernioplastia inguinal por videolaparoscopia apresenta algums vantagens como retorno mais rápido às atividades profissionais, menor dor pós-operatória, menores incisões, mas algumas desvantagens como eventual necessidade de anestesia geral (em uma das técnicas) por isso, sua indicação deve ser criteriosa obedecendo-se às condições de cada paciente.

O que é a tela e quando é utilizada?
A tela é um material protético, cujo objetivo é funcionar como um remendo sobre o orifício da hérnia, ocluindo-o por completo e deixando o reparo da hérnia sem tensão nos pontos. O que diminui a chance de recidiva da hérnia. Atualmente a grande maioria dos estudos científicos recomendam o uso da tela de marlex no reparo das hérnias inguinais por resultar em menores índices de recidiva (retorno da hérnia).

O que devo fazer caso precise ser submetido a uma cirurgia?
Você deve fazer uma consulta com um especialista que irá avaliar suas condições clínicas para cirurgia, irá solicitar alguns exames complementares (exames de sangue e ultrassonografia abdominal total e exames cardiológicos) avaliação eventual de outros especialistas e consulta com anestesiologista.

Esta cirurgia tem algum risco mesmo com exames todos normais?
Toda cirurgia tem riscos, discuta detalhadamente com seu médico os riscos e benefícios da cirurgia.

Quando e como devo proceder para me internar?
Em nossa rotina, exceto em casos excepcionais, o paciente é internado no mesmo dia da cirurgia, 2 horas antes, devendo sempre estar com a guia de internação autorizada pelo seu plano de saúde e respeitando o período de jejum que é de 6 horas para líquidos e 8 horas para sólidos.

Quanto tempo ficarei internado?
Em média em torno de 18 a 24 horas em nossa rotina, podendo-se inclusive receber alta no mesmo dia, dependendo das condições clínicas.

.
Como é a cirurgia?

1. Técnica aberta:
Correção de hérnia inguinal direita – incisão de pele e tecido subcutâneo.
Pode ser realizada atualmente sob anestesia local ou peridural.
Realiza-se incisão em região inguinal de forma obliqua.

2. Técnica videolaparoscópica:
Pode ser realizada por via extraperitoneal total (TEP) ou transabdominal pré-peritoneal (TAPP). Avanços recentes de materiais e o desenvolvimento constante da técnica cirúrgica tem aumentado a aplicação da técnica laparoscópica com excelentes resultados.
Através de 3 pequenos orifícios, utilizando-se uma videocâmera corrigimos o orifício herniário através da interposição de uma material protético (tela de marlex), com excelente resultado estético, menor dor pós-operatória e retorno mais rápido às atividades profissionais).

.
Cuidados Pós-operatório:

Quais são os cuidados pós-operatórios?
1. Evite dirigir por pelo menos uma semana.
2. Evite esforços físicos por tempo determinado por seu médico, respeitando-se características individuais da técnica cirúrgica, do paciente e da doença.
3. Comunique seu médico se sofrer de obstipação intestinal ou se no pós-operatório seu intestino demorar muitos dias para voltar a funcionar para que possa ser medicado apropriadamente.
4. Não há restrições alimentares desde que você esteja sem desconforto abdominal ou náuseas.
5. Compareça à consulta de reavaliação pós-operatória.
6. Comunique seu médico imediatamente caso tenha qualquer dúvida.

Quais são os sinais que podem indicar que a minha recuperação não está dentro do esperado?
1. Febre.
2. Calafrios.
3. Dor intensa na região cirúrgica que não melhora com os medicamentos orientados.
4. Feridas cirúrgicas vermelhas, com calor local ou com vazamento de secreção purulenta (pus).
5. Drenagem abudante de líquidos pela(s) incisão(ões).
6. Náuseas e vômitos incoercíveis.
7. Taquicardia.
8. Mal-estar intenso.
9. Distensão abdominal (estufamento).
10. Intestino que não volta a funcionar.

Nestas situações relatadas acima – comunique seu médico imediatamente ou retorne ao hospital em que foi operado para atendimento médico emergencial e solicite a localização do médico responsável.

.

Outras cirurgias:

- Cirurgia Anti-Refluxo (da Hérnia de Hiato ou Azia);
- Colecistectomia (Cirurgia para retirada de Cálculos e da Vesícula Biliar);
- Videocirurgia Intestinal;
- Videocirurgia Avançada da Obesidade Mórbida.

.
Clique aqui para voltar para a página principal.

© Copyright 2007 Instituto Jacques Perissat