As hérnias abdominais são defeitos na parede abdominal, naturais ou originados por cirurgias prévias que se caracterizam principalmente por um aumento de volume assimétrico, acompanhado ou não de dor, em qualquer posição no abdômen (parede anterior – barriga) e na região inguinal (virilha e flancos). Tais defeitos podem provocar em alguns casos dor mais intensa e permitir o encarceramento de segmentos de intestino em seu interior. O risco maior desta eventualidade é a progressão para a necrose intestinal. Portanto, as hérnias podem infelizmente passar de uma condição que pouco incomoda a uma situação de crise com risco iminente de morte.

Assim, a maior parte das hérnias, uma vez identificadas, devem ser operadas.

As hérnias não são doenças raras. 1/4 dos homens na idade adulta, tem hérnia da virilha. 40% das cirurgias abdominais que foram realizadas com corte , ao longo do tempo desenvolvem hérnias, as chamadas hérnias incisionais.

Infelizmente, não existe ainda nenhuma outra forma de se tratar uma hérnia que não seja por cirurgia. São defeitos estruturais e como tal, só podem ser reparados por meio de operações específicas. Na prática, operar uma hérnia do abdômen atualmente significa cobrir o defeito (buraco) herniário com uma tela.

As telas são pedaços de tecido sintético ou biológico, que se integram ao organismo e promovem a cobertura e portanto a proteção da hérnia contra o encarceramento. Além disto, permitem aos paciente com hérnia a correção do abalamento da parede abdominal e o controle da dor provocada pelo defeito. Existem dezenas de tipos e materiais diferentes de telas. Cada uma pode ou até deve ser utilizada em situações próprias. Entretanto, saber utilizar, manusear e escolher a tela mais adequada para cada situação envolve amplo conhecimento do assunto. Num passado recente, poucas eram as opções no mercado brasileiro. Hoje, quase não existem telas que estejam sendo usadas lá fora e que não sejam realmente disponíveis no Brasil.

Outro fator muito importante no tratamento das hérnias é a escolha da técnica cirúrgica a ser utilizada. Basicamente pode-se operar uma hérnia de 2 formas, aberta ou por videocirurgia. As técnicas abertas ainda se prestam para algumas situações como nas hérnias de grande volume. A necessidade de amplas reconstruções da parede abdominal ainda exigem cirurgias com grandes incisões. Porém estas são exceções. A grande maioria das hérnias são consideradas de tamanho pequeno a moderado. Para elas, a melhor opção é a videocirurgia.

O IJP vem realizando a videocirurgia para as hérnias abdominais há 15 anos. Somos um dos grupos com maior experiência no país no uso deste tipo de tecnologia. Através do Curso de Pós-Graduação do IJP, centenas de cirurgiões brasileiros e da América Latina já puderam aprender estas técnicas para então beneficiar seus pacientes com um tipo de procedimento mais rápido, mais preciso, que provoca em geral muito menos dor e recuperação bem mais precoce.

Saiba mais:

+ Cirurgia de Hérnia