A obesidade é um distúrbio nutricional multifatorial que envolve causas de ordem metabólica, ambiental e sociocultural. No Brasil ela está atingindo índices alarmantes devido ao aumento de sua prevalência ao longo das últimas décadas. É considerada como fator predisponente de outros problemas de saúde, e mesmo a forma mais leve de obesidade implica em redução da qualidade de vida. A obesidade mórbida (índice de massa corpórea acima de 40 – vide tabela) é considerada a forma mais grave e está associada a complicações como: doença coronariana, diabetes, hipertensão arterial, dislipidemia, problemas respiratórios e alguns tipos de câncer.
bellyfat

OBESIDADE: CLASSIFICAÇÃO E TRATAMENTO O excesso de peso pode ser classificado desde sobrepeso a obesidade mórbida conforme o índice de massa corporal (vide tabela).

Classificação do excesso de peso conforme IMC (peso/altura2)
Sobrepeso – Pré-obeso 25-29.9 Kg/m2
Obesidade grau I 30-34.9 Kg/m2
Obesidade grau II 35-39.9 Kg/m2
Obesidade grau III A partir de 40 Kg/m2

O tratamento para obesidade é um desafio para ambos o médico e o obeso, pois o sucesso depende muito da mudança de hábitos de alimentação e rotina. Os tratamentos propostos por profissionais da saúde são os clínicos (dieta, exercício físico e medicamento) e os procedimentos cirúrgicos, estes indicados conforme o grau da obesidade. Uma parte dos indivíduos submetidos a tratamento clínico não conseguem reduzir o peso ou manter o peso perdido. Em determinados casos, alternativas como o balão intragástrico podem ser consideradas como auxiliares ao tratamento clínico, sem nunca abrir mão dos principais componentes – a educação alimentar e exercícios. Os procedimentos cirúrgicos são associados a melhor resultado de perda de peso a longo prazo, mas são considerados apenas para os obesos mórbidos.

Saiba mais: